A Notícia

Sexta
31 de outubro de 2014

Fim da greve

E-mail Imprimir PDF

Após fim da greve, Caixa volta a funcionar com longas filas

Terminou, em quase todo o Brasil, a greve nos bancos. Foram 15 dias de paralisação. Houve assembleias nesta quarta-feira à noite. Os bancários aceitaram a oferta da Federação Nacional dos Bancos: aumento de 7,5% mais atendimento médico e psicológico em caso de assalto a agências bancárias.

Em Muriaé, quem teve que realizar algum serviço bancário na Caixa Econômica Federal, único banco que aderiu a greve, enfrentou longas filas. Durante toda a manhã e o início da tarde, os clientes se aglomeravam na porta da instituição financeira.

O reajuste salarial de 7,5% vai incidir sobre os salários dos funcionários que recebem até R$ 5.250,00. Acima desse valor, a entidade ofereceu aumento no valor fixo de R$ 393,75, garantindo reajuste mínimo de 4,29%. A proposta ainda assegura aumento de 7,5% para benefícios e verbas fixas, como adicional de caixa, adicional de tempo de serviço e auxílio-refeição.

Com relação à Participação nos Lucros e Resultados (PLR Básica e PRL Adicional), os valores foram corrigidos em 7,5% pela Fenaban, com exceção do limite individual da Parcela Adicional, que passou de R$ 2.100 para R$ 2.400 (14,28%).

No caso dos servidores de bancos estatais, como a Caixa Econômica, Banco do Brasil e Banco do Nordeste, a Fenaban concedeu alinhamento dos salários, que até então eram diferenciados. O acordo prevê também que os dias de greve não sejam descontados, mas os funcionários terão até 15 de dezembro para compensar o período em que as agências permaneceram fechadas.

Segundo dados do Sindicato dos Bancários, 8.278 agências bancárias fecharam durante a greve, o que resultou na maior greve da categoria bancária nos últimos 20 anos.

 

Notícias relacionadas